Cuidado e prevenção em suas mãos

Dispositivo de autocoleta de células do colo do útero para diagnóstico de HPV, Infecções Sexualmente Transmissíveis e Exames de Citologia Líquida.

Dispositivo de autocoleta de células do colo do útero para diagnóstico de HPV, Infecções Sexualmente Transmissíveis e Exames de Citologia Líquida.

Como está sendo visto a implementação da autocoleta?

 

A autocoleta com o SelfCervix® permite a REDUÇÃO de CUSTOS para laboratórios. OTIMIZAÇÃO do TEMPO de coleta em consultórios. REDUZ os CUSTOS pela inatividade de funcionários em empresas. AUMENTA a ADESÃO ao EXAME, pois a mulher pode fazer a autocoleta sozinha, sem a exposição íntima a profissionais desconhecidos. REDUZ TEMPOFILAS para consulta em UBS, otimizando tempo do médico para outras prioridades.

Confira nossa publicação científica comparando a coleta profissional com o Autocoletor SelfCervix® e sua aceitabilidade. 

Um Novo Dispositivo Brasileiro para Diagnóstico de Câncer Cervical: Aceitabilidade e Precisão da Autoamostragem

  • Avaliar a acurácia e aceitabilidade da auto-coleta utilizando um novo coletor - SelfCervix®️ - para a detecção de DNA de HPV.
  • Foram incluídas no estudo 73 mulheres com idade entre 25–65 anos que realizaram seu rastreamento regular do câncer de colo do útero entre Março e Outubro de 2016. Estas mulheres realizaram a auto-coleta, seguida de coleta profissional e as amostras foram analisadas para a presença de DNA de HPV. Após, elas responderam um questionário sobre a experiência da auto-coleta.
  • As taxas de detecção de DNA de HPV por auto-coleta foram altas e similares as da coleta profissional. Sessenta e quatro (87,7%) pacientes responderam o questionário de experiência. A maioria (89%) considerou a auto-coleta  confortável, e 82,5% preferiram o método comparado a coleta profissional. As razões citadas foram economia de tempo e conveniência. Cinquenta e uma (79,7%) mulheres confirmaram que recomendariam a auto-coleta.
  • Auto-coleta utilizando o novo coletor desenvolvido no Brasil não é inferior
    na detecção de DNA de HPV quando comparada a coleta profissional, e apresenta uma boa aceitabilidade pelas mulheres. Desta maneira, pode ser uma opção para alcançar populações que não realizam o rastreamento padrão.
  • Lichtenfels et al. A New Brazilian Device for Cervical Cancer Screening: Acceptability and Accuracy of Self-sampling. Rev Bras Ginecol Obstet 2023;45(5):235–241. DOI https://doi.org/10.1055/s-0043-1770134. ISSN 0100-7203.

ANVISA

Registro 80525329009

Patente

Produto patenteado

Exclusivo

Produto 100% brasileiro

O impacto da implementação

Como funciona a autocoleta

Indicações: O Autocoletor SelfCervix® destina-se à autocoleta de amostras cervicais para exames de citologia líquida, detecção de DNA do HPV e outros testes relacionados à saúde da mulher.

Dra. Caroline Brunetto explicando o SelfCervix na prática.

O que as mulheres falam do SelfCervix®

Os depoimentos a seguir são baseados em pesquisas de satisfação e de mercado realizadas durante o desenvolvimento do produto.

É menos incômodo e é eu mesma que faço!

F. M. R

Me senti confortável fazendo, pois além de ser um autoconhecimento com teu corpo, fazer sozinha e tudo mais, também tem autonomia.

R. C.

Uma das melhores inovações na saúde da mulher que inventaram.

Elora F. V.

Autocoleta é melhor, porque sou eu que meto a mão.

B. L. C. S.

A detecção precoce é o melhor tratamento. Previna-se! Faça sua autocoleta.

Prevenção e saúde da mulher

Dra. Caroline Brunetto explicando o SelfCervix na prática.

Jornada do Paciente

Lave as mãos e remova o coletor do saco plástico.

Fique em pé com uma das pernas levantadas. Com uma mão, abra seus lábios vaginais. Com a outra mão, segure o coletor com o dedo indicador no êmbolo.

Insira o coletor na vagina até encontrar resistência. Aperte o êmbolo de 5 a 10 vezes. Remova o coletor da vagina.

Mergulhe a esponja de 5 a 10 vezes no tubo contendo o líquido até misturar completamente. Depois, descarte o coletor em lixo comum e lave as mãos.

O líquido deverá ser entregue para um profissional para realização dos exames.

Dúvidas sobre a autocoleta?

Entre em contato conosco.

 

Câncer de colo de útero: uma doença que pode ser prevenida

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde e do próprio INCA, o risco de desenvolvimento do câncer do colo de útero é de cerca de 30% se as lesões não forem avaliadas e tratadas.

O papilomavírus humano (HPV) é a infecção sexualmente transmissível (IST) mais comum. Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV, sendo que cerca de 40 tipos podem infectar o trato ano-genital.

O câncer cervical é o quarto câncer mais comum entre as mulheres em todo o mundo, com uma estimativa de 604.000 novos casos e 342.000 mortes em 2020. Cerca de 90% dos novos casos e mortes em todo o mundo em 2020 ocorreram em países de baixa e média renda.

A estratégia global para a eliminação do câncer do colo do útero como problema de saúde pública, adotada pela Organização Mundial da Saúde em 2020, recomenda:

  • Triagem com um teste de alto desempenho equivalente ou melhor que o teste de HPV
  • Seguido por tratamento imediato ou o mais rápido possível após um teste molecular positivo para HPV.

Fonte: OMS, 2022 / INCA 2022.

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)

Existem mais de 30 diferentes bactérias, vírus e parasitas conhecidos por serem transmitidos através do contato sexual e podem ter consequências importantes para a saúde, incluindo sintomas genitais, complicações na gravidez, infertilidade, aumento da transmissão do HIV e efeitos psicossociais.

Sabe-se que mais de 30 bactérias, vírus e parasitas diferentes são transmitidos através do contato sexual, incluindo sexo vaginal, anal e oral. Algumas ISTs também podem ser transmitidas de mãe para filho durante a gravidez, parto e amamentação.

Oito patógenos estão ligados à maior incidência de ISTs. Destas, 4 são atualmente curáveis: sífilis, gonorréia, clamídia e tricomoníase. As outras 4 são infecções virais incuráveis: hepatite B, vírus do herpes simples (HSV), HIV e papilomavírus humano (HPV).

Fonte: PAHO, 2022 / OMS, 2022. 

Você sabia que

6,1% das mulheres entre 25 a 64 anos nunca fizeram o exame preventivo?

PNS 2019, (IBGE, 2021)

Principais motivos das mulheres entre 25 a 64 anos nunca terem realizado o exame preventivo

Principal motivo%
Não acha necessário45,10
Não foi orientada a fazer o exame14,80
Tem vergonha13,10
Nunca teve relações sexuais8,80
O serviço de saúde era distante, demorado ou com horário de funcionamento incompatível com o da mulher7,30
Outros5,20

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional de Saúde 2019.

Dados importantes

Câncer de colo de útero

0 Milhões

Número de exames preventivos de Papanicolaou em mulheres de 25 a 64 anos realizados no SUS, Brasil.

0 Milhões

Mulheres desatendidas, considerando somente pacientes do SUS.

0 Dias

É a média de espera para marcar consultas no SUS.

0 %

É a precisão de detecção de células pré-cancerosas do exame papanicolaou.

Número de casos

Estimativa de novos casos diagnosticados por ano de colo de útero por estado no Brasil.

2.680

Sul

1.320

Centro-Oeste

2.060

Norte

5.250

Nordeste

5.400

Sudeste

16.710

Brasil

Fonte: INCA, 2019.

Mortalidade

No Brasil, a taxa de mortalidade por câncer do colo de útero, ajustada pela população mundial, foi de 4,60 óbitos/100 mil mulheres, em 2020 (INCA, 2020).

7.6%

Centro-Oeste

8.2%

Nordeste

4.3%

Sudeste

15.7%

Norte

4.8%

Sul

As mulheres representam 51,8% da população no Brasil

Confira a porcentagem aproximada por idade

Fonte: PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) 2019.

Conteúdos Extras

Procura alguma informação ausente neste site? Fale diretamente com nossa equipe.

  • A Organização Mundial da Saúde e Agência Internacional de Pesquisas em Câncer (IARC) recomendam rastreamento baseado em testes de HPV e incluem a autocoleta em suas novas diretrizes.
  • A Organização Mundial da Saúde considera a autocoleta segura, fácil, e como uma oportunidade de alcançar mulheres que não participam de programas de rastreamento.
  • Estudos confirmam que autocoleta é muito aceita, sendo fácil de ser realizada, possuindo conveniência, privacidade, e conforto para as mulheres, e apresentando mesma acurácia para detectar lesões de iguais ou maiores que grau 2 quando comparadas a coleta realizada por profissional da saúde.  

Conquistas

SelfCervix® na Mídia

Durante o 8º Fórum de Jovens Cientistas e Prêmio de Inovação do BRICS 2023, ocorrido em Gqeberha, África do Sul, a apresentação da solução SelfCervix®️ ganhou destaque.

A fundadora da Ziel Biosciences, Professora Caroline Brunetto de Farias, revelou essa inovadora abordagem.

A solução busca revolucionar a saúde e o empoderamento feminino ao permitir um autoteste mais acessível e preciso do colo do útero.

Essa apresentação não apenas evidencia o progresso científico, mas também ressalta a importância de ampliar a representação feminina na ciência.

O SelfCervix®️ não apenas transforma a saúde das mulheres, mas também inspira uma geração de jovens cientistas.

SelfCervix® Prêmio Internacional BRICS 2022 – China. (3 minutos)

Ziel Biosciences – Motivações e soluções de impacto na saúde da mulher

Construindo

Empoderamento Feminino

SelfCervix® pode ser usado quando e onde quiser. Excelente aceitação pelas mulheres. Democratização em saúde feminina.

Empresa de pesquisa e desenvolvimento de soluções inovadoras na área da oncologia e saúde da mulher.

ziel@zielbiosciences.com

Dra. Caroline Brunetto explicando o SelfCervix na prática.

Empresa parceira com a missão fabricar e comercializar produtos médicos de alta qualidade. Tecnologia de ponta a serviço da vida!